Compreenda-me ou devoro-te !

Somos todos um só Ser em constante evolução.

Nossa consciência é importante. Porque chamamos de NOSSA ? Quando você se refere ao seu telefone, fala em nosso telefone ? Veja como é forte este sentimento intuitivo de que ela não nos pertence isoladamente !

É a nossa consciência, e ela têm vários níveis de atuação. É como o vértice de um enorme furacão, um cone gigantesco com a ponta em nossa cabeça, e isso em cada ser vivente. Um cone em espiral que se expande verticalmente, entrelaçando-se com outros cones com os quais temos afinidades e entrelaçando vários níveis de consciência. A consciência do nosso grupo de trabalho, a de nossos amigos, de nossa família, … Onde estivermos conectados, estaremos formando uma egrégora e criando uma nova consciência. Cada uma destas egrégoras estará conectada a outra com a qual possui sintonia, formando um novo nível de consciência, e assim sucessivamente … A egrégora de uma nação, de uma raça, de uma espécie, de todas as espécies, de todo o planeta, do Universo e do Todo.

Estamos constantemente conectados ao Todo, fazemos parte dele e somos um com ele.

À medida que desenvolvemos nossa consciência, conseguimos ascender nossa compreensão e acessar egrégoras  e consciências de nível superior, assimilar seu conhecimento e aumentar nossa compreensão. Neste caminho vamos expandindo nossa consciência e aniquilando nossa individualidade, vamos nos sentindo participantes do todo e sentindo-nos realmente uno com toda a egrégora do qual assumimos consciência. Sentimos que somos não só irmãos, mas um só, e nasce a verdadeira fraternidade. Sentimos que não basta sermos felizes se uma parte de nós, se um de nossos irmãos está infeliz. Sentimos que auxiliando o próximo estamos auxiliando a nós mesmos.

À medida que ascendemos, passamos a ter este sentimento também pelas outras espécies. Como poderemos matar e comer uma parte de nós ? Você comeria seu dedo para matar sua fome ?

Esta ascensão não se dá uniformemente, nosso ser tem sede de ascensão. Mesmo preso e acorrentado na matéria, lançamos verticalmente verdadeiras cordas com ganchos nas pontas, tentando nos apoiar em algo para nos elevar. São filamentos bioenergéticos, como nervos de uma rede neural que tentam fazer contato com consciências superiores. Alguns destes conseguem se ancorar, de acordo com a sintonia dos pensamentos que os lançam. Assim alguns lampejos de consciência superior surgem em nossa mente. Alguns se tornam vegetarianos, outros mais fraternais, outros eliminam vícios, … enfim vamos assumindo pequenos comportamentos que fazem parte daquilo no qual nos tornaremos quando nossa ascensão se completar.

Pequenas partes de nós vão ascendendo gradativamente, tentando puxar nosso ser para cima. Pequenas amarras vão se formando para tentar nos elevar.

Simultaneamente as forças trevosas vão nos oferecendo “facilidades” e tentações que igualmente lançam pesadas âncoras em nossa consciência, amarrando-nos a matéria e a terceira dimensão. Nossa consciência está constantemente em luta entre estas duas direções, sendo distendida, puxada para cima e para baixo e as amarras mais fracas, menos alimentadas vão se rompendo. Outras vão constantemente se formando, se atirando para cima ou para baixo, numa constante luta pelo nosso destino.

Estaremos sempre e constantemente nesta luta de ascensão e descensão, adquirindo conhecimento. O objetivo deste conhecimento é inevitavelmente a ascensão, pois este é o único caminho infinito. Já estamos próximos ao chão. Podemos nos entregar a ele e ficar eternamente rastejando e nos alimentando de prazeres passageiros ou alçar voos ao infinito e além, absorver a essência de cada experiência, compreender o seu significado e propósito e ir ao patamar seguinte.

Não podemos negar a existência dos prazeres, precisamos experimentá-los e superá-los. Estamos aqui para adquirir conhecimento, e não se adquire conhecimento sem a experiência. O segredo está em experimentar e sentir a sua essência e o seu propósito. Ao fazermos isto estaremos naturalmente nos desprendendo daquele prazer e indo além, para novas experiências. Teremos superado esta etapa e partido para a etapa seguinte.

Enquanto não sentirmos a essência e o propósito, ficaremos vivenciando a parte material daquele prazer e ele irá se tornando um vício. Pois o prazer é passageiro e nos faz buscar outro igual. Esta é a essência de nossa evolução. Cada experiência guarda uma dualidade: um prazer revelado e a nossa disposição, e um propósito oculto, uma essência escondida aguardando ser descoberta. A verdadeira chave que vai abrir a próxima porta do nosso caminho.

Utilize isto em sua vida, pare de brigar contra seus desejos. Encare-os de frente, viva-o, mas não deixe ser usado por ele. Use-o, extraia a sua essência, compreenda-o inteiramente e jogue-o fora. É o enigma da pirâmide: “Compreenda-me ou devoro-te !”.

através de Pramashanti

(No início do texto, abaixo do título, há uma opção para você deixar seu comentário, perguntas ou sugestões. Agradecemos sua participação.)

Anúncios

5 opiniões sobre “Compreenda-me ou devoro-te !”

  1. Parabéns pela inspiração em definir de maneira tão sábia, este processo que acontece constantemente, com todos nós , em diversos níveis. É um desafio perceber quando estamos sendo impulsionados para cima ou para baixo. Como já dizia Albert Einstein, a mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.
    Peço permissão para reblogar esse texto magnânimo em meu blog,
    Namastê,

    Curtido por 1 pessoa

  2. Republicou isso em ESPELHO ENCANTADOe comentado:
    Albert Einstein já dizia, a mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Um texto fantástico que relata , com muita sabedoria , o processo em que todos nós passamos em despertar novas consciências. Mostra-nos a necessidade de estarmos atentos em perceber quando estamos sendo impulsionados para cima ou para baixo e com isto compreender o que é de nossa essência e o que é passageiro. O que vale a pena carregarmos em nossa subida e o que precisamos deixar ir para que essa subida seja mais leve.
    “Estaremos sempre e constantemente nesta luta de ascensão e descensão, adquirindo conhecimento. O objetivo deste conhecimento é inevitavelmente a ascensão, pois este é o único caminho infinito. Já estamos próximos ao chão. Podemos nos entregar a ele e ficar eternamente rastejando e nos alimentando de prazeres passageiros ou alçar voos ao infinito e além, absorver a essência de cada experiência, compreender o seu significado e propósito e ir ao patamar seguinte. ” ( Pramashanti)

    Curtido por 1 pessoa

  3. Parabéns! Somos todos um! Quanto a alimentação… Somos seres de carbono e neste universo infinito, há seres conscientes e inteligentes mais evoluídos que talvez nem dependam mais de matéria para existir mas igual estamos conectados…Porém, nossos corpos frágeis dependem de alimentação, principalmente de proteína animal… Nossa evolução de certa forma acaba levando muitas pessoas a serem vegetarianas apenas, mas estas necessitam repor necessidades vitais ao (organismo) para suprir a deficiência. Nestes casos pergunto: Qual seria o alimento ideal ao organismo humano? Quanto ao ciclo da biosfera de um ser se alimentar de outro ser para sobreviver, nós saindo definitivamente da cadeia alimentar como predadores causaríamos algum tipo de colapso? Obrigado!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s